EVANGELHO DE SÃO LUCAS 1-13 O ADMINISTRADOR

postado em: Reflexão | 0

Reflexão e leitura sobre o Evangelho de São Lucas. O Evangelho de São Lucas é o terceiro na ordem bíblica. São Lucas não conheceu Jesus, mas foi discípulo de São Paulo. Era médico, de origem grega.

EVANGELHO SEGUNDO SÃO LUCAS, 16-13

1. Jesus disse também a seus discípulos: Havia um homem rico que tinha um administrador. Este lhe foi denunciado de ter dissipado os seus bens.

2. Ele chamou o administrador e lhe disse: Que é que ouço dizer de ti? Presta contas da tua administração, pois já não poderás administrar meus bens.

3. O administrador refletiu então consigo: Que farei, visto que meu patrão me tira o emprego? Lavrar a terra? Não o posso. Mendigar? Tenho vergonha.

4. Já sei o que fazer, para que haja quem me receba em sua casa, quando eu for despedido do emprego.

5. Chamou, pois, separadamente a cada um dos devedores de seu patrão e perguntou ao primeiro: Quanto deves a meu patrão?

  1. Ele respondeu: Cem medidas de azeite. Disse-lhe: Toma a tua conta, senta-te depressa e escreve: cinqüenta.

7. Depois perguntou ao outro: Tu, quanto deves? Respondeu: Cem medidas de trigo. Disse-lhe o administrador: Toma os teus papéis e escreve: oitenta.

8. E o proprietário admirou a astúcia do administrador, porque os filhos deste mundo são mais prudentes do que os filhos da luz no trato com seus semelhantes.

9. Eu vos digo: fazei-vos amigos com a riqueza injusta, para que, no dia em que ela vos faltar, eles vos recebam nos tabernáculos eternos.

10. Aquele que é fiel nas coisas pequenas será também fiel nas coisas grandes. E quem é injusto nas coisas pequenas, sê-lo-á também nas grandes.

11. Se, pois, não tiverdes sido fiéis nas riquezas injustas, quem vos confiará as verdadeiras?

12. E se não fostes fiéis no alheio, quem vos dará o que é vosso?

13. Nenhum servo pode servir a dois senhores: ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de aderir a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro.

o administrador infiel

REFLEXÃO DO EVANGELHO DE SÃO LUCAS, 16-13

O Evangelho de São Lucas nos apresenta vários elementos que nos levam a uma reflexão.

Então um administrador, contratado à administrar os bens de um senhor, se vê envolvido em ganância, a ponto de enganar seu patrão. Ao se deparar que nada podia escapar aos olhos do seu senhor, se vê preocupado com o rumo que sua vida iria tomar.

FALTOU-LHE HUMILDADE?

No versículo 3 ele diz : “Que farei, visto que meu patrão me tira o emprego? Lavrar a terra? Não o posso. Mendigar? Tenho vergonha.”

Bem, em um primeiro momento poderíamos pensar que sim. Pois que mal há em trabalhar em lavrar a terra? Basicamente nenhum. Mas se este homem, já estivesse em uma determinada idade, e fazer algum trabalho pesado iria lhe ser penoso ou inconsequente.

Mas e mendigar? Não é feio e nem vergonhoso pedir. Pedir e doar é algo que tem um sentido nobre, e ensinado pela tradição cristã.

Mas este homem, voltando para si, deve ter pensado: “Eu sou alguém que tenho conhecimento, sei administrar, sei pensar e produzir, estaria me rebaixando ao mendigar sendo que os outros sabem quem eu sou”. Pode ser que este pensamento, fosse o mesmo da maioria de nós.

NEGOCIAR COM SEUS CREDORES

Então no versículo 5, o administrador reflete sobre suas ações e busca negociar com aqueles à quem devia.

“Chamou, pois, separadamente a cada um dos devedores de seu patrão e perguntou ao primeiro: Quanto deves a meu patrão?”

Pode ser que o administrador tenha feito algum trato com seus fornecedores, pode ser que tenha pedido para fazer uma soma maior para que depois de pago ficasse com a diferença do que realmente se devia.

No entanto, pode também ser realmente que ele reconhecendo seu erro, se volta os seus fornecedores e lhe oferece a garantia de pagamento mediante a redução do valor real, como um desconto.

O fato é que podemos dizer que Deus é o patrão e nós somos os administradores. “Negociar” com Deus é reconhecer nossas limitações e nossas faltas e dizer a nós mesmos que somos capazes de mudanças.

Se não formos capaz de cuidar de algo pequeno, seremos capazes de cuidar de algo maior?

TER DINHEIRO OU SER RICO É ALGO RUIM?

Não, não é. Mas fazer do dinheiro o nosso sentido de vida com certeza é. Pois deixamos de amar a Deus e passamos a amar algo que é perecível.

Você também poderá gostar destas outras postagens aqui do blog:

Deixe seu comentário, ajude a melhorar o Blog Catequese do Leigo. Assine e receba as atualizações em seu e-mail, é grátis. Abraços.

Se você chegou até aqui, pode ser que você goste de ler também sobre outros temas aqui no Blog Catequese do Leigo. Clique aqui para assinar o Blog Catequese do Leigo e receber as atualizações por e-mail. Abraços.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta