CREIO NA COMUNHÃO DOS SANTOS

postado em: Catequese | 0
Comunhão dos Santos. Um dia uma dúvida me pairou sobre a cabeça, O que é a comunhão dos santos. Eu era recentemente, convertido, ou melhor dizendo, estava de volta a Igreja, fazia pouco tempo, tinha sido espírita durante período na juventude. Mas então, no domingo, após a missa, lá na Paróquia Imaculada Conceição, na cidade de Santo André. Resolvi perguntar ao Frei Roberto. 
– Frei, a comunhão dos santos se refere à São Francisco, Santo Antônio e etc? Me lembro da resposta! 
– Sim, e não! Sim porque à estes também, mas não só estes, mas TODOS os que já se encontram na glória de Deus. 
Isso quer dizer que temos santos que nem mesmo conhecemos. Mas que já vivem e participam da comunhão divina.

COMUNHÃO DOS SANTOS

A Igreja é o corpo místico de Cristo, sendo a cabeça o próprio Jesus. E todos nós pertencemos ao corpo de Cristo, que é Igreja (Ef 4, 15-16).
Mas, pela prática sincera da caridade, cresçamos em todos os sentidos, naquele que é a cabeça, Cristo. É por ele que todo o corpo – coordenado e unido por conexões que estão ao seu dispor, trabalhando cada um conforme a atividade que lhe é própria – efetua esse crescimento, visando a sua plena edificação na caridade.
Bem, unidos a Cristo, neste mundo e no outro, ainda pertencemos a Igreja, a morte não nos separa do corpo místico de Cristo, ao contrário no leva a plena comunhão. 
A comunhão dos santos e a Igreja Católica
A Igreja nos ensina que nos reunimos em três estados: militante, padecente e triunfante. A Igreja militante somos todos nós que caminhamos nesta vida rumo a conhecimento pleno da graça de Deus. A padecente são todos aqueles que já estão salvos mas que por algum motivo esperam para de fato estarem plenos na glória. E a Igreja triunfante, são todos os santos ou todos aqueles que já alcançaram a plenitude de graça. Então, os santos não são somente aqueles que já são reconhecidos pela Igreja, que chamamos de canonizados, mas todos que participam da graça.
[wp_link_assinar]
O Catecismo da Igreja nos ensina sobre a comunhão dos santos de forma contundente: 
A união dos que estão na terra como os irmãos que descansam na paz de Cristo, de maneira alguma se interrompe; pelo contrário segundo a fé perene da Igreja, vê-se fortalecida pela comunhão dos bens espirituais (CIC p. 270 §955). 
A comunhão nos reflete para o termo da própria palavra ‘COMUM UNIÃO’ uma única unidade em Cristo entre toda a Igreja, dos que aqui estão, os que esperam, e os que já se encontram no céu. Se acaso dissermos que alguém que já falecido não pertence a Igreja, estamos dizendo que esta pessoa já não está mais no corpo de Cristo, já não faz parte do seus membros. O que acarretaria na condenação. 
No entanto, se estamos em unidade agora, em unidade estaremos. No primeiro livro de Coríntios cap. 12, 26-27 lemos: 
Se um membro sofre, todos os membros padecem com ele; e se um membro é tratado com carinho, todos os outros se congratulam por ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo e cada um, de sua parte, é um dos seus membros. 
Passarei meu céu fazendo o bem na terra. (Santa Terezinha do Menino Jesus)
Espero ter ajudado a compreender um pouco mais sobre a Comunhão dos Santos. A Igreja celebra todo ano no dia 1 de Novembro o dia de todos os Santos, façamos nós em comunhão com toda a Igreja a construção do caminho para a chegarmos ao céu.
[wp_link_assinar]
Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta