DIDAQUÉ – INSTRUÇÃO DOS DOZE

postado em: Catequese | 0
A Sagrada Escritura é por excelência definida pela Santa Igreja a forma escrita da comunicação de Deus para com seu povo. 
A maneira pelo qual o Espirito Santo moveu os santos escritores para falar das coisas de Deus. “A Sagrada Escritura é a Palavra de Deus enquanto é redigida sob a moção do Espírito Santo CIC p. 34 § 77″. No entanto outros tesouros foram sendo criados na medida da construção e organização da Igreja.
[wp_link_assinar]

A DIDAQUÉ INSTRUÇÃO DOS DOZE APÓSTOLOS 

É provável que a Didaqué tenha sido escrito logo no primeiro século. Sua estrutura literária trás instruções de como se comportar como cristão e de algumas formas de organização litúrgica, em especial o Batismo e a Eucaristia.
O autor do livro – Profetismo e Instituição no Cristianismo Primitivo – Guy Bonneau, diz referenciando A. Von Harnack, – Teólogo Alemão, que é possível encontrar elementos nos escritos da Didaqué que formam um corpo espiritual porém que possa seguir de maneira organizada ou administrada de forma coerente o patrimônio da fé. Harnack distinguiu dois tipos de funções: uma carismática, espiritual e missionária; e outra administrativa, estruturada e fundamentada sobre a organização. 
Um exemplo de normas e condutas descrito na Didaqué cap. XI 
Se vier alguém até você e ensinar tudo o que foi dito anteriormente, deve ser acolhido. Mas se aquele que ensina é perverso e ensinar outra doutrina para te destruir, não lhe dê atenção. No entanto, se ele ensina para estabelecer a justiça e conhecimento do Senhor, você deve acolhê-lo como se fosse o Senhor. Já quanto aos apóstolos e profetas, faça conforme o princípio do Evangelho. Todo apóstolo que vem até você deve ser recebido como o próprio Senhor. Ele não deve ficar mais que um dia ou, se necessário, mais outro. Se ficar três dias é um falso profeta. Ao partir, o apóstolo não deve levar nada a não ser o pão necessário para chegar ao lugar onde deve parar. Se pedir dinheiro é um falso profeta. 
Maria-e-o-espirito-Santo-Pentecostes-blog-catequese-do-leigo
É interessante notar como que as primeiras comunidades então estavam se organizando e se definindo no meio da sociedade da época. Um outro ponto a considerar é que não existia o cânon bíblico nessa época. A Didaqué então surge como um meio catequético de instrução e orientação à comunidade. 
[wp_link_assinar]

RITO DO BATISMO NA DIDAQUÉ 

Como já se pode ver, a Didaqué aponta para como que as primeiras comunidades estavam se organizando administrativamente e liturgicamente. Um exemplo é a formula do Batismo e sua importância. O rito do batismo descrito pela Didaqué: 
Quanto ao batismo, faça assim: depois de ditas todas essas coisas, batize em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Se você não tiver água corrente, batize em outra água. Se não puder batizar com água fria, faça com água quente. Na falta de uma ou outra, derrame água três vezes sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Antes de batizar, tanto aquele que batiza como o batizando, bem como aqueles que puderem, devem observar o jejum. Você deve ordenar ao batizando um jejum de um ou dois dias. A Didaqué é um escrito antigo, originado na Igreja primitiva e de grande importância para entendermos a construção da Igreja como instituição e administradora dos sacramentos.
Gostou desse post? Espero ter sido esclarecedor. E você já tinha ouvido falar da Didaqué? Caso queria baixar a Didaqué, clique aqui. Abraços.
[wp_link_assinar]

Fonte:
Catecismo da Igreja Católica
Didaqué – Instrução dos Doze Apostólos
Profetismo e Instituição no Cristianismo Primitivo. ed. Paulinas, 2003 

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta