A BALEIA AZUL E A CRISE DOS NOSSOS ADOLESCENTES

postado em: Catequese | 0

O “jogo” BALEIA AZUL despertou em toda a sociedade uma atenção especial para com os adolescentes,  sugestionados a seguirem ordens em redes sociais, os jovens internautas se arriscam em cometer desde pequenos atentados contra si, até grandes cortes, provocando lesões graves e a conclusão do jogo é chegar até a morte.

jogo baleia azul

O QUE LEVA UM ADOLESCENTE A ENTRAR NESTE JOGO?

Embora para uma grande parte das pessoas possa parecer que os motivos que levam um adolescente a se engajar em um jogo como o da BALEIA AZUL sejam causas banais, como por exemplo, “não ter o que fazer“, os motivos ao que parece algo bem mais profundo do que uma resposta como essa, pois essa sim é banal.

É necessário entender a dimensão social e psíquica que envolve os adolescente dá época em que vivemos, muito mais do que em tempos passados, a pressão social e as raízes familiares são bem mais confusas.

A pressão social juvenil direciona estes pré-jovens para desafios já existentes e que somam com os novos paradigmas sociais no atual estado que nos encontramos, vou dar alguns exemplos:

Um adolescente que tem problemas cognitivos, não consegue acompanhar seu colegas escolares e muitas vezes além da cobrança familiar, que não consegue perceber que o adolescente precisa de ajuda, julga-o como incapaz, ocasionando ao adolescente também um cobrança interna.

Pois bem, um jogo traz elementos em fases, a cada fase que realiza com sucesso, constrói no competidor, no caso o adolescente, uma sensação de vitória.

Logo esta sensação de vitória traz uma comoção de sucesso, fazendo com que o competidor continue a realizar as fases do jogo e assim buscar novas vitórias.

Nossas famílias estão cada vez mais atingidas por uma massa de ideologias, seja em novelas, filmes, músicas e desenhos que a todo momento desmorona a fé e a estrutura familiar, isto é impressionante. Passamos a ser vulneráveis por qualquer ideologia e tomamos aquilo como verdade, estamos cada vez mais preocupados com uma estrutura MATERIAL do que com a ESPIRITUAL.

COMO ANALISAR O JOGO DA BALEIA AZUL

É exatamente assim que BALEIA AZUL deve ser encarado em um primeiro momento, um jogo. Nenhum jogo faz de imediato com que o jogador se sinta desconfortável, em um primeiro momento ele irá construir uma estrutura de confiança no jogador, fazendo com que o jogador se sinta capaz de seguir a diante.

O jogos em geral tentam montar seu cenário o mais próximo do mundo real, este jogo em particular é o próprio mundo real, o que permite que o jogar seja de fato o protagonista, o agente e o herói de cada ação do jogo.

Sempre que uma nova fase é iniciada irá exigir um maior grau de comprometimento e atenção do jogador, lembrando que a meta é sempre ganhar, ser vitorioso.

Então, perceba que um adolescente poderá entrar neste tipo de atividade real, tomando como base a vontade de ser um ganhador, chegar até o fim, arriscar o máximo que pode para chegar até o mais alto grau e um jogador.

Concluindo que, se um adolescente em um estado depreciado, que imagine não ter nada a perder, porque pode ser que pare ele possa estar já tudo perdido, possa encarar este tipo de jogo como um meio para mostrar a si mesmo e também para os demais do seu meio social que ele não é um perdedor, pois ele assume os riscos mais nobres de um vitorioso que é assumir todos os riscos e assim chegar ao “sucesso”.

COMO COMBATER ESTE TIPO DE ATIVIDADE JUVENIL

Nossa sociedade cada vez mais depreciada e depressiva, não consegue rebater uma ideia tão estúpida quanto esta, onde estamos errando?

A resposta está sempre em nós mesmos. ESTAMOS DOENTES e já faz um bom tempo que assim estamos e não percebemos, resultados como a morte destas crianças é consequência desta doença do nosso tempo.

O combate a este tipo de atividade virtual é sempre a informação, saber o que é e assim agir com a única ferramenta que existe para curar qualquer doença, mesmo as físicas, que é o AMOR, sim estamos carente de amor. Não digo do amor romanceado, deste “tipo de amor” o mundo também já está embriagado falo do amor que sabe dizer NÃO e do que sabe dizer SIM, do amor que é acolhedor, do amor que sabe perdoar sem interesse e do AMOR QUE BROTA NA FAMÍLIA e querem destruir para substituir por um falso amor.

É preciso que nos reunamos em nossas paróquias, em casas de formações e em lares cristãos e rezar, para assim formar um estrutura espiritual e informativa para dai lutar contra esta tempestade social.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta