FÉRIAS E A CHAMADA PARA O GRUPO DE CATEQUESE

postado em: Catequese | 0

Sendo ou não um catequista iniciante este é um assunto que sempre está em pauta. Dar férias e a chamada do grupo de catequese. Bem até mesmo nós catequistas ficamos cansados, pois dividimos nosso tempo a serviço da catequese.

Também ficamos preocupados em controlar a frequência dos catecúmenos. Dá até mesmo desânimo quando preparamos aquele encontro fenomenal, achando que vamos fazer e acontecer e quase ninguém vai naquele dia.

Bom em primeiro lugar gosto sempre de salientar, que embora a catequese também seja um momento de instrução e aprendizado, não podemos fazer deste momento um período “escolar”.

No entanto a questão do período de férias e a chamada para controlar a presença dos catequizandos precisam se pensados com cuidado.

férias e a chamada na catequese pode prejudicar o andamento de evangelização

FÉRIAS E A CHAMADA NA CATEQUESE

Estas questões envolve um certo consenso entre os catequistas e a coordenação da catequese. Determinadas posturas necessitam e uma coesão entre todos.

Aliás qualquer decisão que diga respeito aos grupos de catequese necessitam estar de acordo com todos os catequistas, por assim dizer com a coordenação catequética.

Sabemos que nem todas as decisões abrange a concordância de todos. No entanto cada decisão deve favorecer o bom senso, mesmo que desagrade algum catequista.

SOBRE AS FÉRIAS NA CATEQUESE

Acredito que este assunto deve estar mais relacionado com a catequese infantil e adolescente (talvez). Geralmente coincide com as férias escolares.

Em se tratando de férias esta questão, além dos catequistas deve estar em acordo e sintonia com os pais. Embora possa ser um momento de descanso para catecúmenos e catequistas, vejo algumas desvantagens.

Entre as desvantagens, percebo que o período de férias possa dar um certo “esfriamento” nos catecúmenos. Infelizmente a catequese para os catecúmenos pode ser visto como algo obrigatório e chato.

Alguns pais, principalmente aqueles que não possuem convívio litúrgico, podem até mesmo deixando seus filhos relaxarem na própria catequese.

Outro fator que pode ser considerado no período de férias, é o próprio esfriamento dos catequistas. As vezes um catequista inexperiente, que se aventurou na catequese, pode desanimar e desistir, mas é um risco.

Se  optarem para o período de férias, eu daria 2 dicas para que não se perca o envolvimento com os catequistas e catecúmenos. As dicas são:

  1. Manter contato nas redes sociais: Sim, se você optar pelas férias, mantenha contato com seus catequizandos pelas redes sociais, com postagens relacionados a nossa Fé, a vida dos santos e mensagens do Evangelho.
  2. Interação e formação: Aproveite este momento para se reunir com seus catequistas para fazer um ou dois encontros, muito bem preparados, para colaborar na formação dos seus catequistas.

Com relação as férias para o grupo de catequese de adultos, particularmente eu não recomendo. Os adultos, podem ser ainda mais suscetíveis a desistir da catequese.

Embora os adultos, em sua maioria, busque a catequese para regularizar os sacramentos, dependendo de como for a motivação do catecúmeno e da própria condução da catequese. O adulto pode se sentir motivado a desistir.

Mas um outro fator sobre as férias para adultos, é a questão do tempo, que para a catequese de adulto é muito mais reduzido, em termos de tempo, com relação a catequese infantil. Vale sempre o bom senso!

LISTA DE CHAMADA NA CATEQUESE

Fazer chamada na catequese, também pode ser algo frustrante. Catequese não é escola. O catequista não é um professor, no sentido como entendemos hoje.

Evite fazer do encontro de catequese uma sala de aula, veja não estou dizendo que não deva haver a instrução, mas ela não precisa ser nos moldes da aula escolar.

Uma dica seria você poder controlar a presença do catequizando, sem necessariamente “fazendo uma chamada”. Sem a necessidade de chamar o catecúmeno pelo nome, você pode mesmo, pode fazer uma marcação em uma “lista de chamada” ou presença do catequizando.

Para o adulto esta prática também pode ser desinteressante. Muitos adultos por exemplo, possuem uma vida social diferente das crianças. Por mais que queiramos que ele não falte, ele irá faltar.

E os motivos são diversos para um adulto faltar na catequese, motivos como aniversário do afilhado, dia de trabalho, doença do filho e etc.

Concluindo, as férias e a chamada, podem existir, mas de um modo que não venha a limitar a catequese em si. Embora a catequese não seja uma “escola” a organização e o andamento do envolvimento do grupo de catequese merece atenção no processo de evangelizar.

Lista de chamada na catequese será que dá certo?

Você também poderá gostar destas outras postagens:

Muito obrigado por sua visita. Você também pode deixar seu comentário logo abaixo com suas criticas e sugestões. Para receber novas atualizações semanalmente, assine o blog. Um grande abraço.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta