MAS TEM PURGATÓRIO NA BÍBLIA? DEVO REZAR PELAS ALMAS

postado em: Catequese | 0

Rezar pelas almas do Purgatório é uma prática devocional. No dia 2 de Novembro de todos os anos a Igreja celebra o Dia dos Fiéis Defuntos ou dia de Finados.

Ao falar sobre as almas do Purgatório e da devoção para com o fiéis defuntos, é necessário nos livrar-nos de toda e qualquer superstição.

Se você quer saber mais sobre superstição, vou deixar um link logo abaixo para você pesquisar melhor sobre este assunto. O tema sobre o Dia de Finados e as almas do Purgatório nada tem a ver com superstição.

rezar pelas almas do purgatório no dia de finados

COMO FALAR DAS ALMAS NA CATEQUESE?

O assunto sobre o Purgatório não devia ser tão complicado em nosso meio católico, porém acaba sendo motivo de algumas discussões.

Estas discussões se dá por conta da forte influência do protestantismo dentro da religiosidade católica. Então, ao falar em um grupo de catequese sobre o Dia de Finados e o Purgatório, você catequista deve estar preparado.

Além de você estar preparado para discutir sobre este assunto, seu grupo de catequese precisa estar ambientado na Fé que a Igreja ensina a mais de 2 mil anos.

Trocando em miúdos, se ao falar de um assunto dentro da catequese, fundamentado no que a Igreja ensina, mas o catequizando não aceita, então deve ter algo de errado nesta história.

Ou não estamos sabendo catequizar ou então os catecúmenos não estão entendendo que a Igreja tem autoridade para ensinar e só pode ensinar aquilo que é verdade sobre nossa Fé.

Dentro da catequese as coisas precisam ser claras e ao mesmo tempo objetivas. Se for necessário gaste mais de um encontro para falar sobre um determinado assunto.

Falar de alma não é algo simples, confesso, mas faz parte da nossa Fé, crer que temos uma alma imortal e consciente, mesmo depois da nossa morte.

A alma todos os seres vivos a possuem. Porém só o ser humano possui uma alma imortal, Deus assim o quis desde a criação do mundo.

O QUE A ALMA NÃO É E NÃO FAZ?

De acordo com nossa Fé, desde sempre, a alma não é algo que fica vagando por ai após a morte física. A alma também não é uma outra consciência, pois tudo que compõe nosso ser é único.

A alma também é incapaz de por si só interferir no mundo físico. Outra coisa que não deve-se acreditar é que a alma rejeita o corpo, ao contrário, a alma é de um corpo.

Nós cremos, como ensina a Igreja, que na ressurreição a alma de todas as pessoas irão se unir aos seus corpos novamente. Professamos isso todas as vezes que proclamamos no creio: “Creio na ressurreição da carne…“.

Portanto a alma, não pode ter outro corpo que não aquele o qual sempre o teve após a concepção, o nascimento, a partir do seu nascimento.

Não é correto dizer que ALMA e ESPÍRITO são coisas diferentes, pois nossa alma é espiritual. Assim como o corpo é formado por matéria (físico) a alma é formada espiritualmente (imaterial).

Portanto nossa alma é imortal por ser espiritual. No Catecismo da Igreja Católica lemos que: Muitas vezes o termo alma designa na Sagrada Escritura a vida humana  ou a pessoa humana inteira. Mas designa também o que há de mais íntimo no homem e o que há nele de maior valor, aquilo que mais particularmente o faz ser imagem de Deus: “alma” significa o princípio espiritual no homem.

ALMAS E O PURGATÓRIO?

Nossa mentalidade humana, muitas vezes, precisa de elementos concretos para entender de certas coisas. Nós observamos o mundo pelo nossos sentidos, visão, audição, tato e paladar.

Isso quer dizer que o mundo material é mais sensível para nós. Medimos as coisas por tempo e por espaço. Quando queremos situar algo no tempo dizemos “quando vai ser” e quando queremos situar algo em lugar dizemos “onde vai ser”.

Logo o Purgatório, assim como também o Céu, não são realidades materiais, mas realidades espirituais, portanto, não podem ser classificados com o tempo e com o espaço.

O Purgatório, assim como o Céu, estão mais para serem classificados como um ESTADO, isto, estar no Purgatório, não é estar em um lugar, mas é estar em um ESTADO DE ESPÍRITO.

O sentido da palavra Purgatório é purificação. Esta purificação é pertinente ao nosso “processo de salvação”, temos a garantia de estarmos no ESTADO de CÉU (glória eterna de Deus). No entanto necessitamos purificar nossa alma por alguma razão.

No Catecismo da Igreja encontramos sobre o Purgatório: Os que morrem na graça e na amizade de DEUS, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida sua salvação eterna, passam, após sua morte, por uma purificação, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do Céu. (§ 1030)

Portanto as pessoas que morreram, mas não caminharam para a condenação, irão receber a graça da Glória de Deus, porém necessitam purificar-se para assim estarem no Céu.

DIA DE FINADOS E ORAÇÃO PELAS ALMAS

A prática de oração pelas almas do Purgatório é bem antiga dentro da Igreja. Já na Igreja primitiva no século III, Tertuliano atesta em seus escritos:

A esposa roga pela alma de seu esposo e pede para ele refrigério, e que volte a reunir-se com ele na ressurreição; oferece sufrágio todos os dias aniversários de sua morte” (De monogamia, 10).”

Antes de oficializar a celebração do Dia de Finados no dia 2 de Novembro, haviam antes vários movimentos dentro da Igreja em memória para aqueles que já se foram.

Foi no século XIII que a Igreja oficializou o dia 2 de Novembro como sendo o Dia dos Fiéis Defuntos, o Dia de Finados. Embora nem tudo encontramos na Sagrada Escritura, a prática de oração pelos mortos, também é Bíblica.

No 2º livro de Macabeus encontramos:

“Bendisseram, pois, a mão do justo juiz, o Senhor, que faz aparecer as coisas ocultas, e puseram-se em oração, para implorar-lhe o perdão completo do pecado cometido. O nobre Judas falou à multidão, exortando-a a evitar qualquer transgressão, ao ver diante dos olhos o mal que havia sucedido aos que foram mortos por causa dos pecados. Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição, porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente,..” (II Mac 12, 41-45).

Judas Macabeus estava enviando uma coleta em memória e sacrifício, “belo e santo modo de agir”, para aqueles que morreram.

são francisco de sales: o purgatório é um feliz estado, mais desejável que temível, porque as chamas que lá existem são chamas de amor

Você também poderá gostar destas outras postagens do Blog:

Muito obrigado por visita. Você também poderá deixar seu recado logo abaixo com suas críticas e sugestões. Assine o Blog e receba as atualizações em seu e-mail semanalmente. Abraços.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta