ISTO É O MEU CORPO – TRANSUBSTANCIAÇÃO

postado em: Sacramentos | 0

Caros amigos e amigas do Blog Catequese do Leigo. Já temos um post falando de maneira simples e com uma tentativa pedagógica de expor um conhecimento como canta São Tomás de Aquino sobre o Sublime Sacramento, a Eucaristia. De todos os sacramentos este é o que contém maior zelo de toda a Igreja.

Muito bem nesta catequese gostaria de apresentar um conceito teológico ensinado pela Igreja, a transubstanciação.
Então neste pequeno artigo de catequese, como tema para entender melhor o sacramento da Eucaristia, proponho algumas reflexões:

  • TODA MISSA É UM MILAGRE – ISTO É O MEU CORPO
  • A IGREJA PRIMITIVA E A EUCARISTIA
  • MILAGRES EUCARÍSTICOS

Deixando claro aos meus amigos e visitantes do Blog Catequese do Leigo que este material apresentado, de maneira alguma esgota toda a profundidade que envolve o milagre da transubstanciação e tão pouco a do próprio Sacramento da Eucaristia. Conto que após esta leitura eu possa também receber seu comentário e uma partilha de informação.

TODA MISSA É UM MILAGRE – ISTO É O MEU CORPO

Sim, toda missa é um milagre, porque a cada momento da Santa Missa estamos em contato com o divino. Seja no inicio com o Sinal da Cruz, no momento do perdão, da bênção sacerdotal e principalmente no momento da consagração

E é sobre isto que trata nossa reflexão a CONSAGRAÇÃO EUCARÍSTICA. Pois é neste momento em que por meio do SACERDOTE, o pão e vinho tornam-se em substância o COPO e SANGUE de Nosso Senhor Jesus Cristo.

No momento da consagração, o padre presidente da celebração, profere as mesmas palavras, in persona christi, onde acontece o milagre, e Cristo se faz presente no altar.

A consagração das espécies, pão e vinho, ocorrem em dois momentos e é propriamente as mesmas palavras retiradas dos Evangelhos de São Mateus, São Marcos, e São Lucas e também da primeira carta aos Coríntios 11, 24.

Consagração do Pão: Durante a refeição, Jesus tomou o pão, benzeu-o, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é meu corpo

Consagração do Vinho: Tomou depois o cálice, rendeu graças e deu-lhe, dizendo: Bebei dele todos, porque isto é meu sangue, o sangue da Nova Aliança, derramado por muitos homens em remissão dos pecados.

A formula em si, é uma junção da carta de Paulo e dos três Evangelhos. Note que em cada um dos momentos da consagração Jesus AFIRMA, ISTO É e não utilizou nenhum outro tipo de referência, como por exemplo, isto representa, mas sim ISTO É.

Agora façamos um paralelo com algumas referências da Sagrada Escritura significativas para a importância do argumento e declaração de que Jesus ESTÁ e É presente na Hóstia consagrada. Vejamos:

No Velho Testamento no Livro do Êxodo 3, 14:

Deus respondeu a Moisés: “EU SOU AQUELE QUE SOU”

Livro do Profeta Isaías 45,5:

Eu sou o Senhor, sem rival, não existe outro Deus além de mim. Eu te cingi, quando ainda não me conhecias […]

No Novo Testamento, agora com um olhar mais profundo do EU SOU no Evangelho de São João 8, 25;28

Quem és tu?, perguntaram-lhe eles então. Jesus respondeu: Exatamente o que EU vos declaro. Jesus então lhes disse: Quando tiverdes levantado o Filho do Homem, então conhecereis quem SOU e que nada faço de mim mesmo, mas falo do modo como o Pai me ensinou.

blog-catequese-do-leigo-isto-e-meu-corpo-eu-sou-deus

Entendendo então que o EU SOU é aquilo que É portando do verbo SER. A hóstia consagrada É Jesus e Jesus ESTÁ nas espécies do pão e do vinho. Milagre não necessariamente precisa ser visível para ser milagre.

Logo a TRANSUBSTANCIAÇÃO é o milagre onde a SUBSTÂNCIA do pão e do vinho se CONVERTEM no corpo do SENHOR.

O conceito da transubstanciação possui base teológica e filosófica sobre a substancia da matéria, nesse caso das espécies do pão e do vinho.

A IGREJA PRIMITIVA E A EUCARISTIA

Os Santos Padres, do século I falam sobre a EUCARISTIA e afirmando categoricamente que o pão e o vinho consagrados É o CORPO e o SANGUE do senhor.

A exemplo cita-se Santo Inácio de Antioquia, que em rumo à sua condenação escreveu sete cartas nestas contendo seu zelo pelo Sacramento Eucarístico: […]para obedecermos ao bispo e ao presbitério numa concórdia indivisível, partindo um mesmo pão, que é o remédio da imortalidade, antídoto contra a morte, mas vida em Jesus Cristo para sempre. (Epístola aos Efésios IX, 20).

Sede solícitos em tomar parte numa só Eucaristia, porquanto uma é a carne de Nosso Senhor Jesus Cristo, um o cálice para a união com Seu sangue; um o altar, assim como também um é o Bispo, junto com seu presbitério e diáconos, aliás meus colegas de serviço. E isso, para fazerdes segundo Deus o que fizerdes. (Epístola aos Filadelfios III)

São Justino do ano de 165 também escreve em sua carta “Diálogo com Trifão”:

Este alimento se chama entre nós, Eucaristia, da qual a nenhum outro é lícito participar, senão ao que crer que nossa doutrina é verdadeira, e que foi purificado com o batismo para o perdão dos pecados e para a regeneração, e que vive como Cristo ensinou. Por que estas coisas não as tomamos como pão comum nem bebida comum, mas ao contrário assim como o Verbo de Deus, havendo de encarnado em Jesus Cristo nosso Salvador, se tornou carne e sangue para a nossa Salvação, assim também nos é ensinado que o alimento eucaristizado, mediante a palavra (verbo) de nosso oração precedente d’Ele – O alimento de que nossa carne e nosso sangue, se nutrem com arranjo para nossa transformação – é a carne e o sangue daquele que Jesus que se encarnou. Pois os apóstolos, nos comentários por eles compostos, chamamos evangelhos, nos transmitiram o que assim lhes havia sido transmitido: Que Jesus, tendo tomado o pão e dando graças, dizendo: Façam isso em memória de mim; este é meu corpo, e somente fez eles participantes. A mesma coisa também nos mistérios de Mitra tem sido ensinada pelos malvados demônios, tomando por imitação. Por que sabeis, ou podem saber, que quando alguém é iniciado neles, se oferecem um pão e um cálice de água e se dizem certos versos.

Também Santo Hipólito (235 d.c) ensina o cuidado e o zelo que se deve ter com a Eucaristia, advertindo ainda para que não se permita que um descrente receba a o pão consagrado.

Todos evitem como diligência que o infiel coma da Eucaristia ou que os ratos ou algum outro animal, nenhuma outra coisa em absoluto caia na Eucaristia e que algo pereça. É o corpo de Cristo, do qual todos os fieis se alimentam, e não deve ser desprezado.” (Santo Hipólito – Tradição Apostólica)

Estes são alguns relatos da Igreja Primitiva, onde se tem alicerces sólidos de que Jesus Cristo se faz presente por meio da CONSAGRAÇÃO/TRANSUBSTANCIAÇÃO do pão e do vinho se fazendo em substância o Corpo e Sangue do Senhor.

MILAGRES EUCARÍSTICOS

Partindo do princípio de que por meio da consagração eucarística, em sentido real, em toda a Santa Missa, pelas mãos do sacerdote, in persona christi, acontece o milagre da transubstanciação.

No entanto em vários percursos da história do povo de Deus, por algum motivo, seja ele qual for Deus nos quis revelar de forma APARENTE e VISÍVEL sua presença na hóstia consagrada. Havendo então não somente a mudança da substância, mas também da matéria. Chamados de milagres eucarísticos.

O primeiro milagre de forma aparente que se tem registro é o chamado MILAGRE EUCARÍSTICO DE LANCIANO.

Um sacerdote atormentado por sua dúvida da real presença de Jesus na Eucaristia, se depara com a transformação das espécies do pão e do vinho em carne e sangue.

blog-catequese-do-leigo-milagre-de-lanciano-eucaristico
O milagre de Lanciano já perdura a mais de 12 SÉCULOS intactos sem sofrer as consequências do tempo desde então.
 
Lanciano-reliquias-expostas-corpo-sangue-do-senhor-transubstanciacao
O milagre Eucarístico de Lanciano passou por testes científicos onde se comprova que as espécies convertidas do pão convertidas em tecido cardíaco e o vinho em sangue humanos.
Outro acontecimento como milagre visível da presença real da Jesus na Eucaristia, aconteceu na Argentina, ainda quando o Papa Francisco (Jorge Mario Bergoglio) era o Bispo de Buenos Aires.
 
milagre-eucaristico-sacramento-eucaristia-argentina-buenos-aires

O milagre aconteceu em 18 de agosto de 1996. Após a distribuição da hóstia o Padre Alejandro Pezet foi informado que uma partícula consagrada teria sido encontrada em um candelabro atrás da igreja.

Não consumindo a hóstia, o Padre deixou que a partícula fosse dissolvida em água. Porém ao verificar no dia seguinte notou que a mesma havia se transformado em uma substância que vertia sangue.

O vídeo abaixo apresentado pelo Pe. Júlio Gritti, mostra de forma clara o decorrer o milagre Eucarístico de Buenos Aires.

Caros amigos, este post embora um pouco mais extenso do que de costume não esgota em hipótese alguma de forma catequética a abrangência dos relatos da Igreja Primitiva sobre a presença real de Jesus na Eucaristia e tão pouco sobre a transubstanciação.
Jesus É presente na Hóstia consagrada em toda Santa Missa celebrada em qualquer lugar do mundo pelas mãos de um ministro ordenado.
Você também poderá gostar destas outras postagens aqui do blog:
Este é o Blog Catequese do Leigo, seja bem vindo, deixe por favor seu comentário e ajude a catequizar e a melhorar o conteúdo do Blog. Assine e receba as atualizações em seu e-mail. Um grande abraço.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta