DO QUE É FEITO A HÓSTIA QUE USAMOS NA MISSA E PORQUE ISSO É IMPORTANTE

postado em: Catequese | 0

O significado da palavra hóstia já foi discutido aqui no Catequese do Leigo, deixarei o link sobre isso no final da postagem. Mas antes de mais nada, devemos saber que antes da consagração chamamos apenas de partícula.

O correto é chamarmos de hóstias as partículas que já foram consagradas pelo padre na Santa Missa. Algumas pessoas podem saber ou ao menos deduzir do que é feito as hóstias.

E acredite, isto é de extrema importância se você é católico. Isso porque a hóstia consagrada NÃO É um mero símbolo, mas sim o CORPO e SANGUE de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

como produzir hostias usadas nas santas missas

COMO É FEITO AS PARTÍCULAS – HÓSTIAS

As partículas feitas para se tornarem Hóstias possuem uma composição bem simples, é apenas FARINHA e ÁGUA, nada mais. Não possui e não deve possuir nenhum tipo de conservante ou algo do gênero.

Não se pode de maneira alguma substituir as partículas por nenhum outro tipo de material para a consagração. Se em algum momento isso ocorrer, trata-se de ABUSO e até mesmo PROFANAÇÃO.

Nem o padre e muito menos os coordenadores de Liturgia podem, por qualquer motivo, a título de inovação ou qualquer que seja o pretexto, apresentar no altar algo que não seja PÃO e VINHO para a consagração.

Não existe muito segredo para se fabricar ou mesmo fazer as partículas. O processo durante muitos séculos era prático e muito simples.

prensa para produzir hóstia antiga

 

Acima você pode conferir como as (partículas) hóstias eram criadas. Existiam diferentes formas de prensa para produzir as partículas. Era muito comum as próprias paróquias fabricarem suas próprias partículas.

Claro que hoje em dia, com o avanço da tecnologia e com o aumento do número dos fiéis, a produção das partículas é muito mais eficiente e automatizada.

FARINHA E ÁGUA

Como dito anteriormente, os ingredientes que se tornaram partículas para o uso e consumo como Hóstias, é produzida a partir de uma massa feita com farinha e água.

A farinha de trigo em sua composição natural possui o GLÚTEN que é basicamente o elemento principal da farinha de trigo. Existem muitos casos em que pessoas, e não raro, não podem consumir o glúten em qualquer forma.

Algumas pessoas poderiam pensar de forma simples que este problema se resolve retirando o glúten da farinha que será usada para fabricar as partículas.

Porém, não é tão simples assim. Ao retirar o glúten da farinha, não se tem de fato o PÃO, não tendo o pão em sua totalidade não se tem a consagração.

Mas este problema pode ser resolvido de algumas formas. Entre elas, pode-se ver até onde se encontra a tolerância da pessoas alérgica ao glúten (celíaco) e produzir uma farinha com o MÍNIMO de glúten, mas este elemento não pode faltar.

Outra sugestão recomendada é que o celíaco, também pode comungar somente do VINHO, que obviamente também encontra-se a presença de NOSSO SENHOR.

prensa termica para produzir hostias

RECOMENDAÇÕES PARA A COMUNHÃO DOS CELÍACOS – HÓSTIAS

As recomendações são bem simples, porém de grande utilidade e valia para a comunidade e os que sofrem da doença alérgica ao glúten.

Da mesma forma que existem pessoas que não podem comungar das hóstias consagradas, mesmo com o menor índice de glúten. Existem também aqueles que não podem comungar do VINHO.

As 8 (oito) recomendações abaixo, trás uma maior segurança e esclarecimento para estes caso, como se pode observar logo abaixo:

  1.  as pessoas celíacas apresentem-se ao pároco, para que ele possa tomar as providências adequadas;
  2.  as pessoas celíacas tenham acesso às partículas especiais válidas para a comunhão;
  3.  o armazenamento dessas partículas, a preparação delas para a Santa Missa e a sua distribuição no momento da comunhão, sigam as regras de segurança para estes casos;
  4. as tecas destinadas ao serviço da comunhão para as pessoas celíacas sejam reservadas para esse fim e conservadas em separado das demais;
  5. haja cálices especiais para os que podem comungar somente na espécie do vinho;
  6. os cálices e os sanguinhos usados para sua purificação sejam conservados em separado;
  7. aos menores de dezoito anos e às pessoas que tenham restrição ao consumo do álcool, se disponibilize a comunhão com o uso do mosto (suco de uva fresco ou conservado com a fermentação suspensa);
  8. seja dada preferência às pessoas celíacas para comungarem por primeiro em uma das filas de comunhão, e que elas mesmas peguem a partícula da teca reservada para elas.

É de extrema importância que a comunidade tenha ciência desta realidade que acomete um número considerável de fieis, para assim atender suas necessidades de forma acolhedora.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DESTAS OUTRAS POSTAGENS:

Muito obrigado por sua visita. Seja sempre bem vindo. Logo abaixo você pode deixar suas críticas e sugestões nos comentários. Assine também e receba as atualizações semanais do Catequese do Leigo. Um grande abraço.

Você também pode encontrar mais informações sobre recomendações para as hóstias em ORIENTAÇÕES DA CNBB.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

Deixe uma resposta