EM QUAL CONDIÇÃO A IGREJA DIZ QUE O ABORTO É PECADO?

postado em: Igreja Católica | 2

O aborto é um assunto tratado de forma doutrinal dentro da Igreja, pois trata-se um conceito moral. Este breve artigo irá buscar apresentar alguns aspectos importante sobre o tema do aborto.

Este tema é  discutido em praticamente todos os países de forma política-social e religiosa. A abordagem do conteúdo apresentando de forma alguma pretende esclarecer o assunto em todos os seus aspectos.

No entanto, a Igreja, fiel a Luz do Evangelho e a Tradição Apostólica é irredutível quanto a prática do aborto. Portanto, algum erro doutrinal que se cometa aqui, por favor, me comunique por meio dos comentários.

o aborto não é uma opção. o aborto é pecado grave e é punida com excomunhão

O QUE É O ABORTO

O aborto possui basicamente duas dimensões que serão esclarecidas ao decorrer desta postagem, sendo guiada pelo Catecismo da Igreja. As dimensões do aborto podem ser:

  1. Espontâneo
  2. Provocado

De um modo geral o aborto é a interrupção da vida no ventre materno em qualquer fase, desde a fecundação (óvulo e espermatozoide) até o período de formação do ser.

Por ser uma assunto delicado, tentarei apresentar de forma simples e direta estas duas “dimensões”. Leia atentamente para que se evite desentendimento.

ABORTO ESPONTÂNEO

A interrupção espontânea ou aborto espontâneo pode ocorrer por diversas causas, há várias anomalias que podem provocar um aborto espontâneo.

O uso contínuo de medicamentos contraceptivos (anticoncepcionais) podem, após sua interrupção, ser o causador de um aborto espontâneo.

É por este motivo que a Igreja NÃO PERMITE qualquer uso de medicamentos contraceptivos. De forma geral um aborto considerado espontâneo não é desejado pela mãe ou pai.

ABORTO PROVOCADO

O aborto provocado, como o nome já diz, é a prática de interrupção da existência da vida, em qualquer faze da concepção ou gestação.

Pode ser provocado por meios químicos ou cirúrgicos, das mais diversas formas. Um aborto pode ser provocado de forma clínica ou mesmo “caseira”.

O ABORTO É PECADO?

SIM. A prática do aborto provocado e desejado é PECADO GRAVE e atenta para o 5º Mandamento da Lei de Deus: NÃO MATARÁS.

EXISTE ALGUMA PRATICA DO ABORTO QUE A IGREJA APROVE?

NÃO. A Igreja não aprova o aborto em hipótese alguma. Em qualquer situação o aborto será pecado grave.

MAS E UMA GRAVIDEZ POR MEIO DE ESTUPRO OU INCESTO?

Resumidamente o estupro é a prática sexual sem consentimento. Através de um estupro pode-se originar um gravidez. No entanto também nesta situação o aborto continua sendo pecado grave.

Também, de forma resumida, o incesto é a prática sexual (que pode ser por estupro) entre familiares, exemplo: pai e filha. Também, consiste em pecado grave a prática do aborto.

POR DOENÇAS GENÉTICA MÁ FORMAÇÃO OU RISCO DE VIDA?

Não, o aborto não deve ser a solução e nem praticado. Nenhuma vida vale mais que a outra e não se tem o direito de decidir se uma criança por má formação poderá ser abortada.

Uma vida não vale mais do que a outra, principalmente quando se trata de um ser humano que não tem a capacidade de decidir por si mesmo.

O CATECISMO SOBRE A PRÁTICA DO ABORTO

O Catecismo da Igreja Católica (CIC) no parágrafo 2270 deixa claro a posição da Igreja quanto ao tema do aborto:

§2270. A vida humana deve ser respeitada e protegida, de modo absoluto, a partir do momento da concepção. Desde o primeiro momento da sua existência, devem ser reconhecidos a todo o ser humano os direitos da pessoa, entre os quais o direito inviolável de todo o ser inocente à vida.

A vida deve ser preservada desde seu primeiro momento de existência, a Igreja não dá nenhuma justificativa para qualquer tipo de prática provocada para o aborto.

Desde o mais tenro momento da concepção a Igreja afirma que o ser humano deve ser preservado e garantido seu direito de viver:

2274. Uma vez que deve ser tratado como pessoa desde a concepção, o embrião terá de ser defendido na sua integridade, tratado e curado, na medida do possível, como qualquer outro ser humano.

Portanto não se considera um ser humano os que estão em plena consciência de existência, mas aqueles que por direito e por natureza são seres humanos.

O PERDÃO PARA O PECADO DO ABORTO

O ABORTO ESPONTÂNEO em si NÃO é causa de pecado. Pois não foi desejado e tão pouco procurou-se praticar. Mas caso alguém encontra-se  em algum desequilíbrio emocional ou espiritual procure um bom padre e confesse-se. Caso necessário ajuda psicológica também é recomendado.

Já o ABORTO PROVOCADO é causa de PECADO GRAVE, nesta situação, se de fato AS PESSOAS envolvidas em uma interrupção provocada estão ARREPENDIDAS, devem procurar um bom padre.

Caso o padre não tenha AUTORIZAÇÃO para dar a absolvição deste pecado, ele, o padre, irá encaminhar a mãe, o pais e demais envolvidos, se arrependidos para o Bispo local.

A prática do aborto, causa EXCOMUNHÃO, ou seja, os envolvidos no aborto estão separados AUTOMATICAMENTE da Igreja, por isso em casos o padre, se não tiver autorização deverá encaminhar para o Bispo.

O Catecismo da Igreja diz: §2272. A colaboração formal num aborto constitui falta grave. A Igreja pune com a pena canónica da excomunhão este delito contra a vida humana. «Quem procurar o aborto, seguindo-se o efeito («effectu secuto») incorre em excomunhão <<latae sententiae>>, isto é, «pelo facto mesmo de se cometer o delito» e nas condições previstas pelo Direito. A Igreja não pretende, deste modo, restringir o campo da misericórdia. Simplesmente, manifesta a gravidade do crime cometido, o prejuízo irreparável causado ao inocente que foi morto, aos seus pais e a toda a sociedade.

Portanto o envolvimento com o aborto, mesmo de fato não o praticando, mas “apoiando” é também causa de pecado grave.

CONCLUSÃO

Nós catequistas temos o dever de falar sobre este assunto na catequese, na adulta e também na infantil. O Catecismo é muito mais profundo em suas explicações do que as linhas desta publicação.

Caso conheça alguém que praticou o aborto, que esteja arrependida, oriente esta pessoa a buscar o SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO.

Caso souber de algum caso, não escandalize ainda mais, não propague. Trate o assunto com verdade e misericórdia. Pesquise mais para poder orientar seus catecúmenos.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DESTAS OUTRAS PUBLICAÇÕES:

Obrigado por sua visita. Você também pode deixar seu comentário logo abaixo com suas críticas e sugestões. Assine também o Blog  e receba as atualizações em seu e-mail.

Sou ex-espirita, moro em Maringá -PR. Gosto de falar sobre religião e sobre a fé católica. Tenho interesse pela catequese de adultos. Sou formado em Administração. Gosto de Sistemas de Informação e Redes Sociais. Também gosto de programação para internet. Seja Bem Vindo.

2 Responses

Deixe uma resposta