CATEQUESE DO LEIGO

Seja bem vindo ao blog catequese do leigo. Aqui você pode encontrar assuntos relacionados a Igreja. Materiais e discussões sobre catequese.

catequese do leigo - nossa senhora do perpetuo socorro

O ANO DO LAICATO – A IGREJA NO BRASIL PROMOVE O PROTAGONISMO LEIGO

O leigo tem um papel fundamental na Igreja. Nós que somos peregrinos nesta terra, junto com a Igreja que caminha somos chamados a ser SAL e LUZ no mundo.

A Igreja é união do povo de Deus, que caminha na esperança da ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Pela vocação dos leigos é que surgem todas as outras vocações.

Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa. (S. Mateus 5, 13-15)

Na Igreja somos todos responsáveis. Todo Batizado é chamado para ser Sal e Luz. Para que serve o sal e não para dar sabor. E para que serve a luz se não par iluminar.

O protagonismo do leigo. A Igreja quer dar uma maior visão para os leigos. Estes que atuam na Igreja de várias formas.

O LEIGO SENDO SAL E LUZ NO MUNDO

A Igreja no Brasil iniciou no dia 26 de Novembro de 2017, que irá até o dia 25 de Novembro de 2018 o Ano do Laicato.

A principal pauta, obviamente é o PROTAGONISMO do LEIGO. O termo “protagonista” muito utilizado no teatro, quer dizer “aquele que tem um papel especial”.

Obviamente o Leigo sempre teve na Igreja, como Batizado, sua posição na Igreja, embora não participe da hierarquia eclesial.

O lema deste ano dedicado aos leigos é “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-14). A Conferência dos Bispos do Brasil elaborou o Documento nº 105.

O Documento nº 105 tem por base dois importantes Documentos da Igreja, que devem ser de nosso conhecimento, enquanto leigo.

A Exortação Apostólica do Papa João Paulo II Sobre a Vocação dos Leigos e o Todos Somos Discípulos e Missionários.

Estes dois documentos, o primeiro criado por São João Paulo II e o segundo pelo Papa Franciscos. São instrumentos para nortear nossa vivência dentro da dimensão laica.

Na Exortação Apostólica Sobre a Vocação dos Leigos, João Paulo II, trás  a luz a vocação do laicato em todos os aspectos pertinentes aos Batizados, como:

Quanto mais estivermos conhecimento a respeito da dimensão laica, mais abertos a graça de Deus estaremos e melhor será nossa contribuição para a Igreja.

Muitos de nós ficamos articulando ideias, fazemos suposições com instruções rasas que parecem ter sentido. Mas ao observarmos o que o Magistério nos ensina, percebemos o quanto há de rico na Igreja.

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA CHRISTIFIDELES LAICI – PAPA JOÃO PAULO II

A exortação Christifideles Laici, possui um grande e vasto conteúdo. O Papa João Paulo II nos deixou uma obra prima de amor para com o laicato.

Vejamos este rico parágrafo:

Anunciar o Evangelho

33. Os fiéis leigos, precisamente por serem membros da Igreja, têm por vocação e por missão anunciar o Evangelho: para essa obra foram habilitados e nela empenhados pelos sacramentos da iniciação cristã e pelos dons do Espírito Santo. Exortação Christifideles Laici – Papa João Paulo II

Nesta exortação, João Paulo II afirma a importância do leigo na sua missão, de anunciar o Evangelho. Pois pelos dons do Espírito Santo e alimentados pelos sacramentos somos habilitados para este fim.

Deixar este protagonismo engavetado é o mesmo que receber um grande tesouro e enterra-lo. Enterra-lo com o medo do mundo ou com a comodidade dos que não querem compromisso.

A Iniciação Cristã deve possui, neste sentido, um papel fundamental para os leigos. Estes que ingressam no seio da Igreja, devem ter ciência e competência para assumir sua posição como evangelizadores.

Portanto, a Iniciação Cristã, não deve ser um mero encontro casual, sem fim, sem compromisso. A Iniciação Cristã deve promover a autenticidade do Evangelho no compromisso do Batismo e demais Sacramentos.

O leigo, não é, tão pouco deve ser um sujeito alheio, mas de fato inserido no protagonismo da Igreja que caminha neste mundo.

AINDA DIZ O PAPA JOÃO PAULO II

Leiamos um texto claro e denso do Concílio Vaticano II: « Porque participam no múnus sacerdotal, profético e real de Cristo, os leigos têm parte activa na vida e na acção da Igreja… Fortalecidos pela participação activa na vida litúrgica da comunidade, empenham-se nas obras apostólicas da mesma. Conduzem à Igreja os homens que porventura andem longe, cooperam intensamente na comunicação da Palavra de Deus, sobretudo pela actividade catequética, e tornam mais eficaz, com o contributo da sua competência, a cura de almas e até a administração dos bens da Igreja. Exortação Christifideles Laici – Papa João Paulo II

O Protagonismo do Leigo está marcado pelo MÚNUS SACERDOTAL de Cristo. Na vivência da Liturgia e na Catequese, devemos aproximar, tanto quanto podemos, todas as pessoas para o seio maternal da Igreja de Cristo.

Sem dúvida, a ordem de Jesus: « Ide e pregai o Evangelho » conserva sempre a sua validade e está cheia de uma urgência que não passa. Todavia, a situação actual, não só do mundo mas também de tantas partes da Igreja, exige absolutamente que à palavra de Cristo se preste uma obediência mais pronta e generosa. Todo o discípulo é chamado em primeira pessoa; nenhum discípulo pode eximir-se a dar a sua própria resposta: « Ai de mim se não evangelizar » (1 Cor 9, 16). Exortação Christifideles Laici – Papa João Paulo II

Todos somos chamados a EVANGELIZAR, a anunciar o Cristo Ressuscitado. Nossas limitações devem ser entregues como oferta.

Neste paragrafo, João Paulo II também diz a importância da conservação do desejo de Jesus em anunciar o Evangelho. Até mesmo se for preciso, lembrar nossos pastores desta necessidade, que não passa.

PAPA FRANCISMO – SOMOS TODOS DISCÍPULOS MISSIONÁRIOS

Na Evangelii Gaudium, Papa Francisco também dá seu recado eminente e pertinente para os leigos. Somos discípulos e missionários.

A missão de evangelizar pode ocorrer em qualquer lugar. Em qualquer lugar somos chamados a ser evangelizadores.

127. Hoje que a Igreja deseja viver uma profunda renovação missionária, há uma forma de pregação que nos compete a todos como tarefa diária: é cada um levar o Evangelho às pessoas com quem se encontra, tanto aos mais íntimos como aos desconhecidos. É a pregação informal que se pode realizar durante uma conversa, e é também a que realiza um missionário quando visita um lar. Ser discípulo significa ter a disposição permanente de levar aos outros o amor de Jesus; e isto sucede espontaneamente em qualquer lugar: na rua, na praça, no trabalho, num caminho. Evangelii Gaudium

Como protagonista e missionário, em qualquer momento, em qualquer lugar devemos estar prontos para o anúncio do Evangelho.

128. Nesta pregação, sempre respeitosa e amável, o primeiro momento é um diálogo pessoal, no qual a outra pessoa se exprime e partilha as suas alegrias, as suas esperanças, as preocupações com os seus entes queridos e muitas coisas que enchem o coração. Só depois desta conversa é que se pode apresentar-lhe a Palavra […] Evangelii Gaudium

O Papa Francisco, também nos alerta, que neste processo de Evangelização, devemos estar também inseridos na realidade do outro.

A Evangelização não deve ser uma imposição, aceitar suas exigências sim, mas deve ser em uma liberdade consciente.

O leigo, como um protagonista, também deve estar atento as exigências temporais, sem perder centro da fé cristã.

A partilha deve ser uma forma de aproximação, de conhecimento e também de convite ao Evangelho. Anunciar o Cristo, também implica em conhecer o outro.

Porém, conhecer o outro não é se dobrar, mas é ser verdadeiro na dor e limitações de quem recebe o Evangelho. E ser verdadeiro no que ensina a Igreja.

UMA BREVE CONCLUSÃO

Não haverá protagonismo, se nós leigos, não assumirmos nosso Batismo, não desengavetar todos os tesouros que já possuímos pelos Sacramentos.

Não existe protagonismo na comodidade. Não existe protagonismo com achismos. E também não há protagonismo somente de uma boa vontade.

Uma boa vontade deve estar unidade com a capacitação dos documentos da Igreja. Não haverá protagonismo sem a vós dos leigos, que desejam uma Igreja que nos ensine a viver mais santamente.

O protagonismo de um leigo, pode estar em uma denuncia, na injustiça social e politica. Assim como também denunciar os maus leigos, os maus padres e os maus Bispos.

O Concílio não olha os leigos como se fossem membros de segunda categoria, a serviço da hierarquia e simples executores de ordens provenientes do alto, mas como discípulos de Cristo que, através do Batismo e sua inserção no mundo, são chamados a animar todo ambiente, atividade e relação humana segundo o espírito do Evangelho, levando a luz, a esperança e a caridade recebida de Cristo aos lugares que, caso contrário, ficariam sem a ação de Deus e abandonados na miséria da condição humana. Ninguém melhor que os leigos pode desempenhar a tarefa essencial de inscrever a lei divina na vida da cidade terrena. Papa Francisco.

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ GOSTAR DESTAS OUTRAS PUBLICAÇÕES:

Muito obrigado por sua visita. Deixe seu comentário logo abaixo com suas criticas e sugestões. Assine o blog e receba as atualizações sem seu e-mail. Obrigado.

Autor Catequese do Leigo catequesevirtual@gmail.com

Sou católico e amo a Igreja. Gosto de teologia e me interesso por catequese de adultos.

Anúncio
ASSINE O CATEQUESE DO LEIGO
POSTAGENS RECOMENDADAS
Anúncio
RECEBA ATUALIZAÇÕES

comment DEIXE SEU COMENTÁRIO LOGO ABAIXO NO CATEQUESE DO LEIGO

2 Comentários

  1. Maria Concebida Marinho Souza disse:

    Amo minha Igreja, consciente de que tenho que ser bom cristão, sempre me inclui nalguma tarefa dentro e fora da Igreja ou seja: catequese sou catequista a 68 anos amo orientar crianças adolescentes jovens e adultos prepare noivos para o Sacramento a Pastoral da criança orientando um grupo a ajudar as gestantes a confeccionares os primeiros enxovais do bebê e como ela se cuidar e cuidar do nenê durante a deleitação hoje sou Ministra Extraordinária da Sagrada Comunhão Ministra da OFS (Ordem Franciscana Secular),local e Ministra da Palavra, prestes a receber a investidura. Amo me evangelizar para
    evangelizar quem procura ouvir.

    • Olá Maria, tudo bom? Que alegria receber uma história tão dedicada e que história bonita de doação. Nós leigos somos chamados a lutar pela Igreja na Igreja. A sermos sal e luz. Tenho certeza que por onde a senhora passa o Espírito Santo mexe com os corações. Um grande abraço para a senhora e que Deus possa ilumina-la sempre. Abraços.